💛 Frete Grátis Brasil (acima de R$99)

Alimentos sem glúten: o que são e por que consumi-los?

Atualmente, é muito fácil encontrar informações a respeito de qualquer assunto na internet, inclusive são encontradas diversas dietas que restringem diversos alimentos e um dos assuntos do momento quando se trata dessas restrições são com relação aos alimentos que contém glúten. Com isso, a busca por alimentos sem glúten cresceu exponencialmente nos últimos anos, mas ainda é preciso esclarecer alguns fatos sobre esse tipo de alimentação. Confira agora no blog da Tia Sônia tudo sobre o glúten.

Afinal, o que é glúten? Ele realmente faz mal ou não?

Diferente do que a maioria das pessoas pensam, o glúten não é um carboidrato, mas sim uma combinação de dois grupos de proteínas: a gliadina e a glutenina.

Este conjunto de proteínas, chamado também de prolaminas e glutaminas, são encontradas junto ao amido presente no endosperma das sementes de diversos cereais, principalmente das espécies da tribo Triticeae, que pertencem o trigo, a cevada, o malte e o centeio.

Quando adicionamos água a um tipo de farinha, como é o caso da farinha de trigo, que é amplamente utilizada em nossa alimentação, essas proteínas do glúten se encontram na massa, o que a torna elástica para trabalhar e resistente o suficiente para ser esticada sem arrebentar, como ocorre na produção dos pães e massas de macarrão e lasanha, por exemplo.

Dessa forma, quando consumimos esses alimentos, principalmente com a ingestão de líquidos em paralelo, nosso sistema digestivo por demorar um pouco mais para conseguir digerir, sobretudo para pessoas com restrições ao glúten (vamos falar mais sobre isso nos tópicos seguintes).

Por isso, o glúten ganhou muita fama nos últimos anos por ser um dos responsáveis pelo aumento de peso e pelo mal-estar do sistema gastrointestinal de muitas pessoas. Contudo, apesar desta má fama, é preciso entender como o glúten age em nosso organismo, de fato, e quais são os benefícios e malefícios de uma dieta livre dele.

Segundo especialistas, os alimentos ricos em glúten podem sim ser consumidos dentro de uma dieta equilibrada e, consequentemente, trazer benefícios para a nossa saúde, desde que a pessoa não seja intolerante ou celíaca. Os alimentos com glúten auxiliam no controle da glicemia e do aumento do triglicerídeos, aumentando a absorção de vitaminas e minerais, além de melhorar o funcionamento da flora intestinal e fortalecer o nosso sistema imunológico.

O glúten é encontrado em quais alimentos?

O glúten é encontrado em qualquer tipo de alimento produzido a partir da farinha de trigo, cevada, malte ou centeio. Então, podemos incluir nesta lista os bolos, pães, massa de pizza, biscoitos, macarrões e as cervejas (desde que não sejam produtos que tenham a indicação "não contém glúten").

Mas, além desses típicos alimentos, a lista ainda pode ser bastante extensa, contendo diversos outros tipos de alimentos, já que grande parte da indústria alimentícia utiliza o glúten em suas receitas para fazê-las render mais ou como alguma de forma de extensão do prazo de validade. Por isso, é sempre fundamental ler todo o rótulo do produto antes de comprar para certificar-se da presença ou não do glúten.

Dentre esses outros alimentos que fazem parte do grupo de alimentos que contém glúten estão: alguns temperos industrializados; alguns tipos de queijos; molhos (maioneses, mostarda, ketchup, shoyo) e até mesmo em alguns remédios.

Existe diferença entre a doença celíaca e a intolerância ao glúten?

A disfunção existente em pessoas que não podem consumir o glúten chama-se doença celíaca, ela impossibilita o consumo desse alimento, visto que ele não é aceito pelo intestino, desencadeando uma reação alérgica do sistema imunológico, que aciona células de defesa para atacar a região.

Neste processo, ocorre a inflamação na mucosa do intestino, o que levará a pessoa a passar mal, precisando ser levada para o hospital em casos mais graves, isso por que vilosidades intestinais, estruturas responsáveis por absorver os nutrientes da comida não funcionam corretamente.

Para identificar a doença em um paciente, são precisos vários exames até a confirmação da existência da mesma, contudo, os sintomas mais comuns são dor, diarreia, distensão abdominal e inchaço na região, que devem ser levados em conta desde a infância caso a criança tenha episódios repetidos constantes depois de se alimentar.

Já a intolerância ao glúten, é uma dificuldade na digestão dos alimentos que contenham essas proteínas. Apesar de não ser tão grave quanto à doença celíaca, ela pode apresentar sintomas semelhantes, contudo os exames sorológicos apresentarão resultados negativos e a biópsia intestinal é normal. Por esse motivo, a intolerância ao glúten é chamada de sensibilidade ao glúten não celíaca, mas isso não significa que a pessoa não deve tomar cuidado ao consumir os alimentos que contenham esse componente.

Geralmente, os médicos indicam a restrições desse elemento da alimentação tanto para os caso da doença celíaca quanto da sensibilidade não celíaca.

Como encontrar opções de alimentos sem glúten para uma dieta equilibrada?

A boa notícia para as pessoas diagnosticadas com essas disfunções do sistema digestivo ou com a doença celíaca é que, hoje, existe uma lista grande de alimentos que não contém glúten e que podem ser facilmente encontradas no dia a dia.

É importante ressaltar que diversos alimentos que estão presentes em nossa alimentação não contém glúten como: frutas, legumes, vegetais e tubérculos (como mandioca, inhame, batata e batata doce), ovos, carnes, pescados e grãos, como feijão, ervilha, lentilha e soja, são todos exemplos de alimentos que não possuem glúten.

Além disso, atualmente, existem farinhas que substituem a farinha de trigo ou de centeio nas receitas de pães, biscoitos e bolos, que são sinalizados como produtos sem glúten. Há também outros alimentos como barrinhas naturais de frutas, quinua, chia, açúcar de coco, castanhas, que também não contém glúten e que são ricos em nutrientes para a uma alimentação saudável e equilibrada, basta que você pesquise antes de comprar.

Afinal, escolher marcas confiáveis para integrar a sua alimentação é fundamental para se manter saudável, sobretudo quando estamos falando de restrições alimentares, que são muito sérias.

Conheça a Granola Sem Glúten da Tia Sônia

Dentre as opções de alimentos sem glúten, temos uma dica valiosa para quem busca se alimentar de maneira mais saudável com muita energia: é a granola sem glúten!

A granola é um tipo de alimento naturalmente mais saudável, já que combina vários grãos, sementes e frutas desidratadas que trazem muitos benefícios para a saúde e, em especial, a granola sem glúten é uma excelente opção de alimentação para pessoas que possuem alergias ou a doença celíaca.

Sinônimo de saúde, ela traz muito sabor em uma combinação equilibrada de aveia, flocos de tapioca, gergelim, frutas desidratadas, flocos de milho, quinoa e castanha-do-pará, entre outros ingredientes. Todos esses itens unidos oferecem muitas vitaminas para o corpo, ajudam a melhorar o funcionamento do intestino, além de fornecer energia para o dia a dia, sendo uma opção de lanche para qualquer hora do dia.

Essa granola também se destaca por ser um complemento alimentar que oferece os nutrientes necessários para pessoas que vivem uma rotina com alto gasto calórico. Além disso, ela pode ser adicionada a qualquer tipo de alimento que você preferir, como iogurte, salada de frutas, sorvete, açaí e até mesmo em sanduíches e o melhor é que toda família pode consumir, já que nenhum dos ingredientes é contraindicado para crianças (que já tenha idade para mastigar alimentos sólidos normalmente).

E aí, gostou do nosso post sobre o glúten e suas restrições? Esperamos ter ajudado. E, para mais informações e dicas sobre dietas e alimentação, fique sempre por dentro das atualizações do blog da Tia Sônia!

Powered by E-Com Plus